Gato Espirrando: O que pode ser? O que fazer? Sintomas

Assim como nós, humanos, pode acontecer que um gato espirre. É um reflexo expelir o ar do corpo quando a membrana mucosa do nariz está irritada. As causas de um gato espirrando são múltiplas e podem variar de uma origem banal transitória a uma doença grave para a saúde.

Neste artigo, entenda melhor o que pode ser seu gato espirrando, o que fazer e mais!

Gato espirrando: o que pode ser?

Quando um gato respira, o ar passa pelo trato respiratório superior (cavidades nasais, seios da face, faringe e laringe) e depois por baixo (traqueia e pulmões). Essas vias respiratórias têm a função de umidificar e aquecer o ar inspirado.

Além disso, atuam como barreiras para filtrar o ar e evitar que partículas, como poeira e patógenos, cheguem aos pulmões. Assim que a membrana mucosa do trato respiratório é afetada, ela não consegue mais desempenhar suas funções adequadamente.

Os espirros são causados ​​principalmente por um distúrbio do trato respiratório superior, incluindo inflamação das membranas mucosas nasais. Pode ser rinite, inflamação do revestimento do nariz ou sinusite, inflamação do revestimento dos seios da face. Se essas 2 membranas mucosas estiverem em causa, falamos de rinosinusite.

Com esses espirros, outros sinais respiratórios podem estar associados, como secreção nasal ou respiração ruidosa. Além disso, pode haver secreção ocular.

As causas de um gato espirrando

Existem muitas causas que podem causar espirros em gatos. Entre os patógenos envolvidos, os vírus são os mais frequentemente responsáveis.

Leia Mais: Nome para Gatos: Os 50 mais populares e fofos

Gato espirrando – Coriza: Vírus

A coriza em gatos é uma síndrome responsável pelos sinais clínicos respiratórios. Esta doença muito contagiosa é frequentemente encontrada em gatos. Pode ser causada por um ou mais agentes, incluindo um vírus denominado vírus do herpes felino tipo 1, responsável pela rinotraqueíte viral felina.

Atualmente, essa doença é uma daquelas contra a qual os gatos são vacinados. Na verdade, as consequências para a saúde do gato podem ser graves. Os sintomas incluem espirros, febre, conjuntivite e secreção nasal e olhos.

É importante saber que quando um gato contraiu este vírus, embora os sinais clínicos possam desaparecer com o tratamento, é possível que o mantenha por toda a vida. Este vírus pode permanecer inativo, mas reativar a qualquer momento.

Coriza: Calicivírus Felino

Hoje, os gatos vacinados também estão protegidos contra o calicivírus felino, vírus também responsável pela coriza. Os sintomas são respiratórios, como o vírus do herpes felino, mas também presentes na boca, nomeadamente abcessos da mucosa oral.

Para esses dois últimos vírus, a contaminação ocorre por meio de gotículas de espirros e secreções que contêm os vírus. Estes podem então ser transmitidos a outros gatos e infectá-los por sua vez. A contaminação indireta por meio de vários meios (tigelas, gaiolas, etc.) também é possível.

Coriza: Bactéria

Em relação à coriza, o patógeno responsável pode ser sozinho (vírus ou bactéria), mas também podem ser múltiplos e associados. Entre as principais bactérias responsáveis, pode-se citar a Chlamydophila felis ou a Bordetella bronchiseptica.

Mas os vírus e bactérias não são os únicos agentes que podem ser responsáveis ​​pelos espirros, também podemos citar as seguintes causas:

  • Fungos / Parasitas: a inflamação da mucosa nasal também pode ser causada por outros patógenos como fungos (Cryptococcus neoformans por exemplo) ou mesmo parasitas;
  • Subprodutos de irritação: a mucosa nasal pode ficar irritada na presença de certos agentes que o gato não tolera, como poeira da caixa sanitária, certos produtos ou até fumaça. Além disso, uma alergia a um produto pode se manifestar como rinite alérgica. Pode ocorrer quando o gato está na presença de um alérgeno que seu corpo não tolera. Pode ser um alérgeno presente em sua casa ou fora, como o pólen por exemplo. No caso anterior, a rinite é sazonal;
  • Corpo estranho: quando um corpo estranho entra no nariz do seu gato, como uma folha de grama por exemplo, o corpo tentará expeli-lo espirrando mais ou menos;
  • Massa: uma massa, tumoral ou benigna (pólipo nasofaríngeo), pode representar um obstáculo à passagem de ar e, assim, causar espirros em gatos;
  • Fenda palatina: é uma fenda que se forma ao nível do palato. Pode ser congênita, ou seja, está presente desde o nascimento do gato, ou surge após um acidente. Essa fenda então forma uma comunicação entre a boca e a cavidade nasal. O alimento pode, assim, passar por essa fenda, ir parar no nariz e ser causa de espirros no gato que tenta expulsá-lo.

Leia Mais: Conheça o Instituto Luisa Mell e saiba como ajudar a causa animal

O que fazer com gato espirrando?

No caso de um espirro transitório, pode ser a poeira que irritou a membrana mucosa, como também é o nosso caso. Por outro lado, assim que os espirros forem frequentes ou não pararem, é necessário entrar em contato com o veterinário para uma consulta.

Só ele pode determinar a causa e prescrever um tratamento adequado. Na verdade, o tratamento será diferente dependendo da causa dos espirros. Lembre-se também de relatar quaisquer outros sintomas ao seu veterinário (corrimento, tosse, etc.).

Além disso, é importante não dar medicamentos humanos ao seu gato. Eles não só podem ser tóxicos para eles, como também podem não ser eficazes.

De qualquer forma, a melhor prevenção é a vacinação, mantendo atualizado regularmente para proteger o seu gato contra essas doenças respiratórias que podem ser graves. Portanto, é importante manter as vacinas do seu gato atualizadas, fazendo sua visita anual de vacinação ao seu veterinário.

Gato espirrando: Qual prognóstico?

Nos casos mais comuns, espirros em gatos são um sintoma de um leve resfriado que passa em poucos dias. No entanto, mesmo um simples resfriado pode ser agravado por superinfecção bacteriana ou outros fatores de imunodeficiência.

Além disso, a prevenção de corpo estranho ou tumor não pode ser generalizada, pois essas duas causas dependem fortemente do tipo de estímulo (corpo estranho e tumor) e da localização.

Como evitar espirros em gatos?

Infelizmente, o comportamento do dono do animal tem muito pouca influência no aparecimento de tumores do que na intrusão de corpos estranhos no nariz do gato. Além disso, esses casos são mais comuns em gatos ao ar livre que vagueiam sem supervisão.

No entanto, para proteger os gatos de infecções respiratórias, como resfriados, você pode seguir as seguintes dicas:

  • Se você tiver mais de um gato: separe o gato doente do gato saudável
  • Limpe e desinfete regularmente alimentos e cantos de tigela
  • Para evitar um resfriado: seque o pelo do gato quando estiver molhado, ofereça uma dieta balanceada e muito exercício físico
  • Vacine seus gatos contra calicivírus felinos, herpesvírus felino, clamídia e bordetella bronchiseptica

Leia Mais: Cachorro vomitando: O que pode ser? o que fazer?

Espirros isolados ou associados a outros sintomas

Os espirros podem ser isolados ou associados a outros sintomas, pontuais ou repetidos. Espirrar também é um dos sintomas encontrados na síndrome da coriza do gato, uma doença respiratória comum em gatos que vivem em uma comunidade que envolve vários patógenos.

Ao contrário dos humanos, espirrar não é um sinal específico de alergia em gatos. Em vez disso, ele espirrará se respirar algo irritante, como perfume ou fumaça de tabaco. A consulta veterinária é necessária quando os espirros são frequentes e / ou repetidos. Algumas condições dentais também podem causar espirros.

Um espirro isolado e em um contexto favorável a uma irritação pontual do trato respiratório não deve, portanto, ser motivo de preocupação. Por outro lado, se o gato espirra com frequência, se sua frequência aumenta ou está associado a outras doenças, é aconselhável levar seu felino ao veterinário para que ele possa estabelecer um diagnóstico preciso e implementar um tratamento adequado!

Esperamos que este artigo tenha ajudado! Não deixe de compartilhar se gostou. Para mais informações sobre pets, acompanhe nosso Blog! Até a próxima!